NEWSLETTER Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Jardim Renovado

Já escolheu o seu destino de férias este Verão?
Temos o local certo no Portinho da Arrábida.

Saber +

 Mergulho

 Observação de Golfinhos

 Passeios de Barco

Sobre Cetáceos

Quando se diz “Cetáceos”falamos de baleias e golfinhos

São animais marinhos, na maioria, mas também há de água doce (Boto)

São mamíferos: respiram por pulmões, têm sangue quente, e amamentam as suas crias

 

Os Cetáceos dividem-se em duas sub-ordens:
• Baleias sem dentes (Mysticeti) - em vez de dentes têm “barbas” que servem para filtrar o plâncton da água, do qual se alimentam
• Baleias com dentes (Odontoceti) - localizam a suas presas (peixes e cefalópodes) através da ecolocalização. Neste grupo estão incluídos os golfinhos
• Ecolocalização – consiste na emissão de sons que ao serem reflectidos são escutados e interpretados pelos animais. Tem função de detecção e de comunicação

Sob a pele, têm uma camada de gordura que lhes confere energia e isolamento térmico

Respiram através dos espiráculos que têm na zona dorsal da cabeça (1 espiráculo nos Odontoceti e 2 nos Mysticeti). Ao respirarem, o jacto de água que é expelido à superfície é diferente de espécie para espécie, tratando-se de uma característica usada na identificação das espécies avistadas

São capazes de ficar muito tempo sem respirar (varia de espécie para espécie; pode ir de alguns minutos a 2 horas)

Os Golfinhos são conhecidos por serem nadadores rápidos e muito activos à superfície

Os cientistas podem identificar as espécies de cetáceos, mas também cada um dos indivíduos, através da

Fotoidentificação, isto é, através da fotografia das marcas naturais dos indivíduos (exemplo: barbatanas dorsais), sem necessidade de manuseamento físico dos animais

Ameaças:

• Caça à baleia - ainda praticada no Japão

• Captura acidental - quando são capturadas acidentalmente em redes de pesca, de atum por exemplo

• Pesca fantasma - redes perdidas, que estão à deriva no oceano, podem enrolar-se à volta destes animais e estrangulá-los, ou podem mesmo ser ingeridas por engano

• Sonar usado pelos navios – pode ser a causa para os arrojamentos, pois confunde o sentido de orientação destes animais, ou causa hemorragias devido à rápida descompressão

Contacte - nos

  

+351 919 807 289 

Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. pt

Newsletter